Edição nº 1 • janeiro/fevereiro 2014

 Março / Abril - 2012

A China na economia mundial do século XXI

Os países emergentes, e a China de modo especial, são parte decisiva das transformações em curso na política e nos negócios internacionais. E é por isso que se pode afirmar que a economia mundial do século XXI dependerá, cada vez mais, da inserção chinesa. A China tem sido um país crucial para a economia mundial, não somente por ter se tornado o segundo maior PIB ou por ter apresentado crescimento de mais de 9% durante as quatro últimas décadas.

Com esta assertiva, Diego Pautasso discorre em seu artigo sobre os possíveis desdobramentos ligados à inserção chinesa nos negócios e na política mundiais. Segundo o autor, para compreender o alcance dessas transformações, é necessário entender a conexão existente entre eventos distintos e de grande envergadura, cuja explicação perpassa a trajetória chinesa.

O autor mostra, com base em ricas fontes bibliográficas, que a China que aí está é a negação tanto dos equívocos da experiência do socialismo soviético e dos ímpetos voluntaristas do período da Revolução Cultural, mas, sobretudo, a negação da agenda neoliberal que se irradiou pelo mundo a partir dos anos 1970-80.

No artigo “A China na economia mundial do século XXI”, Pautasso faz uma profunda reflexão da experiência chinesa e das lições que este país tem dado ao Ocidente, tanto com o que diz respeito ao aprendizado com experiências externas, negação de modelos e gradualismo na experimentação das reformas, quanto à regulação dos investimentos estrangeiros, fortalecimento das capacidades estatais, ampliação do mercado doméstico, políticas de internalização de tecnologias, e, principalmente, a colocação da política macroeconômica a favor do desenvolvimento.

 

Leia a matéria completa assinando a Revista da ESPM.

Diego Pautasso

Doutor e mestre em Ciência Política pela UFRGS

Professor de Relações Internacionais da ESPM e pesquisador  do Núcleo de Estratégia e Relações Internacionais


  • 2 Comentários
  • Envie por
    E-mail

Comente

 

Comentários

  1. Quando as muralhas da China na economia começam a desmoronar, levam consigo alguns montes e montanhas na economia mundial diz:

    As coisas no mundo dos negócios no planeta nunca funcionaram corretamente porque os homens se esquecem de ver a vida com naturalidade, ignorando a realidade. Há, no mundo dos negócios pessoas que agem como se vivessem em seu dia em uma casa de cassino, pois são viciados nos negócios como uma jogatina, ingnorando a consciência de que se continuar jogando somente pensando no lucro, poderá obter a qualquer momento um choque descobrindo que não possui mais Las Vegas para continuar cometendo suas loucuras nos mercados mundiais. O que fazer? Eles não acreditam na realidade, pois são viciados.

  2. Quando as muralhas da China na economia começam a desmoronar, levam consigo alguns montes e montanhas na economia mundial diz:

    Não sou um grande filósofo na economia mundial, mas gosto de ler e viajar na realidade das coisas humanas. Tenho um blog simples que comecei no mês de maio a postar alguns pensamentos.Sem mais.Wellson Antonio de Oliveira.

Programado por: Rodrigo Vieira Eufrasio da Silva